Transtorno fonológico e o treinamento auditivo
 
 
O transtorno fonológico, mais popularmente conhecido como uma dificuldade na fala, ocorre quando há uma alteração no uso do sistema fonológico, de causa desconhecida e que pode ser classificado como de desenvolvimento até os 12 anos de idade.
 
Uma das principais características do transtorno fonológico é sua heterogeneidade em relação aos tipos de erros apresentados, à gravidade e à dificuldade subjacente.
 
A criança com transtorno fonológico pode apresentar uma dificuldade mais relacionada com o processamento motor da fala, ao imput auditivo do som, ou a um déficit cognitivo-linguístico. As dificuldades presentes no transtorno fonológico podem ainda ser uma manifestação da inter-relação entre os três aspectos citados.
 
Quando a dificuldade está no imput auditivo do som, o treinamento auditivo pode ser indicado como estratégia para auxiliar na conduta terapêutica. O treinamento auditivo é considerado como o conjunto de tarefas que são designadas para ativar o sistema auditivo e os sistemas associados, de maneira que sua base e o comportamento auditivo associado sejam alterados de forma positiva.
 
Casos envolvendo desvozeamento, como a substituição dos sons fricativos /v/, /z/, pelos sons /f/, /s/, e dos sons plosivos /b/, /d/, /g/ por /p/, /t/, /k/, respectivamente, são os mais beneficiados com a estimulação auditiva!