Perguntas frequentes sobre dislexia e aprendizagem da música

Se você tem um filho com dislexia, você pode se questionar se isso afetará sua capacidade de ler partitura ou tocar um instrumento. A resposta? Depende.
Problemas com a leitura de palavras também podem afetar a capacidade de uma criança para ler, decodificar e interpretar música. Isso não significa que crianças com dislexia não conseguem aprender a tocar música e desfrutar de fazê-lo, no entanto. Os sistemas cerebrais envolvidos com a dislexia são complicados e variam de criança para criança.
Além disso, a música não é escrita da mesma maneira para todos os instrumentos. Há uma grande diferença entre a “leitura de bateria, piano e notação de guitarra”. Enquanto seu filho pode ter dificuldade em ler “música de piano”, a “notação de bateria” pode parecer bastante natural. A única maneira de saber é tentar.
Aqui estão algumas respostas a perguntas comuns sobre dislexia e música.
Como a aprendizagem de música acontece no cérebro?
Ler palavras e se envolver com a música compartilham algumas das mesmas redes cerebrais. Mas na maior parte, elas ocorrem em diferentes áreas do cérebro.
Por exemplo, o lobo temporal é responsável pela consciência fonológica e decodificação. Ouvir música envolve os córtex auditivos. Combinar a batida da música envolve os lobos frontais, as estruturas subcorticais e o cerebelo.
A função cerebral não é a única coisa que afeta a capacidade de uma criança de aprender música, no entanto. Como uma criança se envolve com música também pode ter um impacto.
Aprender música não precisa começar por lê-lo. Na verdade, muitas vezes é melhor começar com apenas ouvir música, tocar e se mover musicalmente. Programas como Meludia.com (em inglês) são ideais para começar a experimentar o tom musical, a melodia, o ritmo e o tempo.
Por que as crianças com dislexia podem ter dificuldade com a leitura de partituras?
As pesquisas sobre isso não são claras. Alguns estudos sugerem que os mesmos problemas que dificultam a leitura dificultam também a leitura da notação musical.
Crianças com dislexia têm problemas para isolar sons em palavras e, em seguida, mapeando-os de volta às letras. Essa fraqueza também pode afetar sua capacidade de processar sons na música.
Assim como as crianças com dislexia, nem todas têm as mesmas dificuldades. Há, contudo, alguns desafios comuns. Esses incluem:
Aprendendo um novo vocabulário em que palavras familiares têm um significado diferente. Essas palavras incluem nota, chave, barra…
Rastreamento visual da esquerda para a direita e de cima para baixo.
Ritmo e tempo.
Decodificação de símbolos de música. As crianças podem ter dificuldade em perceber detalhes como se a “cauda” das notas sobe para baixo ou para cima, por exemplo. Elas também podem não entender os símbolos de notação de ritmo.
Armazenar informações musicais na memória de trabalho.
Coordenar o uso das mãos e pés enquanto tocam seu instrumento.
O treinamento musical pode melhorar as habilidades de leitura de uma criança?
Há algumas pesquisas que sugerem que o treinamento musical pode ter um impacto positivo nas habilidades de leitura. Aprender música pode ser uma maneira divertida e descontraída de ouvir e produzir mudanças. Pesquisas sugerem que também pode melhorar a capacidade da criança em processar os sons da fala.
Um estudo descobriu que aprender a reconhecer padrões de som e mapeá-los para símbolos ajuda a desenvolver habilidades de leitura. Contribui no desenvolvimento da consciência fonêmica.
Além disso, o canto pode ajudar as crianças a segmentar as palavras em sílabas. Por exemplo, quando as crianças cantam “Adoleta, le peti peti petá. Le café com chocolate, adoleta”, a palavra é suavemente exagerada. Suavizar a palavra para a música pode facilitar as crianças na aprendizagem de seus segmentos.
Existem estratégias que podem ajudar crianças com dislexia a aprender a ler partituras?
Assim como os professores ajudam as crianças a aprender a ler as palavras, técnicas multissensoriais podem ajudá-las a aprender a ler música. Na verdade, os professores de música costumam usar essas técnicas para todos os alunos principiantes.
Aqui estão algumas estratégias comuns:
Traçar a melodia com um dedo na pontuação, depois desenhando no ar e no papel.

Aumentar e abaixar as mãos ou pular para frente e para trás em resposta a mudanças no tom.

Andar, marchar ou aplaudir ritmos diferentes para aumentar a conscientização sobre a batida.

Escrever notas em cores diferentes em partituras para que elas se destaquem.

Reduzindo a desordem na partitura mostrando apenas a linha de música em que a criança está trabalhando.

Existem muitas técnicas mais multissensoriais que podem ajudar as crianças a aprender música. Peça aos potenciais professores de música que eles usem esses tipos de estratégias.
As crianças com dislexia devem evitar aprender um instrumento ou tentarem?
Pesquisas sugerem que a experiência musical tem um impacto positivo nas habilidades de pensamento e aprendizagem. Mas se o seu filho não está realmente interessado na música ou em tocar um instrumento, pode não valer a pena empurrá-lo. Ele já está enfrentando desafios suficientes com a leitura.
Se ele é realmente motivado, incentive! Muitas crianças com dislexia são bem-sucedidas ao aprender música. Se o seu filho quer tentar, tocar música pode lhe dar muita alegria e um sentimento de realização.
Pais, procurem saber mais sobre a instrução multissensorial. Descubra tipos de música que podem ajudar seus filhos com problemas de aprendizagem e atenção. E conheça a história de outros músicos famosos com dislexia e outros problemas de aprendizagem e atenção!