Fundamentos básicos: a consciência fonológica

Certos aspectos do desenvolvimento da linguagem da primeira infância, tais como a taxa de crescimento do vocabulário, predizem com que facilidade uma criança aprenderá a ler e a escrever quando entrar na escola. Entretanto, um componente específico do desenvolvimento da linguagem da primeira infância – a consciência fonológica – parece ser importante. Consciência fonológica é a consciência de uma criança a respeito das regras que governam os padrões sonoros específicos à sua própria língua. Ela também inclui o conhecimento daquele sistema particular da língua para representar sons com letras.

Fonoaudiólogos tem agora evidências abundantes de que crianças fonologicamente mais conscientes aos 3, 4 ou 5 anos posteriormente aprendem a ler com muito mais facilidade. Além disso, ao se treinar crianças pré-escolares e do jardim de infância na consciência fonológica, suas habilidades de leitura no 1º ano melhoram!

Naturalmente, uma criança não tem que adquirir consciência fonológica na primeira infância. As habilidades fonológicas podem ser aprendidas no ensino fundamental por meio de instrumentação formal. Entretanto, inúmeros estudos demonstram que quanto maior a consciência fonológica de uma criança antes de entrar na escola, mais rápido ela aprende a ler. Ganhos maiores na consciência fonológica parecem ocorrer entre o quarto e quinto aniversário das crianças, exatamente antes da maioria entrar no jardim de infância.

Estudos constatam que muitas das atividades diárias que crianças pré-escolares realizam promovem o desenvolvimento da consciência fonológica. Por exemplo: aprender e recitar rimas infantis. Educadores também verificaram que usar esses jogos para ensinar habilidades de consciência fonológica a pré-escolares é tão efetivo quanto usar instrumentos mais formais, como cartões e listas de palavras.Também a leitura compartilhada contribui para o crescimento da consciência fonológica.

Crianças pequenas com boas habilidades de consciência fonológica frequentemente usam uma estratégia chamada ortografia inventada quando tentam escrever. Apesar dos muitos erros que cometem, as crianças que usam ortografia inventada antes de receber ensino formal em leitura e escrita têm maior probabilidade de se tornarem bons soletradores e leitores mais tarde na infância. Portanto, as evidências sugerem que uma das melhores formas de pais, professores de pré-escola e fonoaudiólogos ajudarem crianças pequenas a se preparar para o ensino formal em leitura é envolve-las em atividades que encorajem o jogo de palavras e ortografia inventada!