Neuropsicologia: muito além da aplicação de testes psicológicos

 

A Neuropsicologia se desenvolveu muito nos últimos tempos. Historicamente é o resultado de esforços interdisciplinares (psicologia, medicina, fonoaudiologia, linguística, dentro outros) a qual não se reduz somente a aplicação e utilização de testes padronizados.

A Neuropsicologia estuda as relações entre o cérebro e comportamento, mente ou cognição, muitas das vezes associando uma correlação anátomo-clínica ou estrutura e função. Sempre que um profissional associa determinadas alterações do comportamento ou da cognição com a integridade funcional de áreas ou sistemas cerebrais específicos, ele está realizando neuropsicologia. Isso é Neuropsicologia e pode e precisa ser executada de múltiplas maneiras considerando informações advindas da história clínica, da observação do comportamento do paciente, de exames laboratoriais e de neuroimagem, e também de testes validados! Os testes são uma parte importante, mas somente uma parte! O cerne da Neuropsicologia diz respeito às hipóteses localizacionistas e à abordagem mais ampla, anátomo-clínica!

A Neuropsicologia não se resume portanto, a um processo mecânico de aplicação de testes, levantamento de escores e consulta a um referencial normativo. Ela é muito mais que isso! A Neuropsicologia é uma área dinâmica de estudo das relações entre o cérebro e o comportamento humano!

 

Bibliografia:

Neupsilin-inf: Instrumento de avaliação neuropsicológica breve para crianças (Livro de instruções vol. 1). Editora Vetor, 2016.