Quais avaliações neuropsicológicas o Fonoaudiólogo pode utilizar na sua prática clínica?

 

Neupsilin- Inf

Comentei nos meus primeiros posts sobre Neuropsicologia que esta ciência é o resultado de esforços interdisciplinares entre Psicólogos, Psiquiatras, Neurologistas, Linguistas e o Fonoaudiólogo.

A Neuropsicologia cresceu muito e rapidamente no Brasil, e com isso diversas ferramentas padronizadas foram validadas, e deixaram de ser de uso exclusivo de psicólogos e passaram a ser utilizados por multiprofissionais com qualificação na área de neuropsicologia. E o fonoaudiólogo está entre estes profissionais aptos a aplicar, analisar e correlacionar determinadas alterações do comportamento ou da cognição, servindo-se da tradição de conhecimentos acumulados da neuropsicologia.

Para o uso de determinados instrumentos de avaliação neuropsicológica, considero importantíssimo que o fonoaudiólogo busque treinamento ou aperfeiçoamento, visto que determinados instrumentos só podem ser utilizados quando adequadamente interpretados em um contexto mais amplo de avaliação, com base em conhecimentos teóricos da neuropsicologia. Recomendo também cautela, responsabilidade e ética na utilização de instrumentos neuropsicológicos.

Abaixo estão os principais instrumentos que o fonoaudiólogo pode utilizar na sua prática clínica.

  • Neupsilin-Inf: Instrumento de avaliação neuropsicológica breve para crianças

Instrumento para avaliação neuropsicológica de crianças entre 6 a 12 anos de idade. Contribui para a delimitação de diagnósticos em transtornos do neurodesenvolvimento e da aprendizagem. Avalia as habilidades de orientação, atenção, percepção visual, memória, habilidades aritméticas, linguagem, habilidades visuoconstrutivas e funções executivas.

  • Neupsilin: Instrumento de avaliação neuropsicológica breve

É uma ferramenta clínica que se propõe a descrever de forma compreensiva o desenvolvimento neuropsicológico ao longo do ciclo vital, da adolescência ao envelhecimento tanto neurologicamente saudáveis quanto portadoras de quadros neurológicos (ou neuropsiquiátricos) adquiridos ou de desenvolvimento. Avalia 8 funções neuropsicológicas: orientação têmporo-espacial, atenção concentrada, percepção visual, habilidades aritméticas, linguagem oral e escrita, memória verbal e visual, praxias e funções executivas.

  • Teste de atenção por cancelamento

O teste, desenvolvido por Montiel e Seabra, consiste de três matrizes impressas com diferentes tipos de estímulos. Avalia atenção seletiva e atenção alternada.

  • Teste de trilhas: Parte A e B

O Teste de Trilhas é um dos instrumentos mais utilizados, internacionalmente, para a avaliação das funções executivas e, especificamente, da flexibilidade cognitiva, apesar de demandar também habilidades de percepção e atenção visual, velocidade e rastreamenteo visuomotor, atenção sustentada e velocidade de processamento.

  • Teste da Torre de Londres

Avalia a capacidade de planejamento. Pode ser aplicado em crianças e adolescentes de 11 até 14 anos.

 

Além desses instrumentos, sugiro que o fonoaudiólogo consulte os livros: Avaliação neuropsicológica cognitiva (Linguagem oral – volume 2) das autoras Alessandra Seabra e Natália Dias, e Avaliação Neuropsicológica cognitiva (Leitura, escrita e aritmética – volume 3) dos autores Alessandra Seabra, Natália Dias e Fernando Capovilla. Nestes livros estão descritos mais de 15 testes, além dos citados acima que o fonoaudiólogo tem autonomia e conhecimento para aplica-los!