Nova série de textos: Linguagem e o Hemisfério Direito

Olá!

A partir desta semana começa uma nova série de textos no blog! Estamos acostumados a sempre relacionar o hemisfério esquerdo com a linguagem, mas… será que o hemisfério direito é importante na aquisição e desenvolvimento de linguagem? Você vai surpreender com esse lado direito!

Especializações hemisféricas na comunicação

Atualmente há um certo consenso no que tange às especializações hemisféricas de diferentes funções cognitivas. O hemisfério esquerdo é reconhecidamente considerado o responsável pelo conhecimento e pensamento linguísticos, como raciocínio analítico, assim como pelo funcionamento da memória verbal e de aspectos de expressão e recepção da linguagem. Em contrapartida, o hemisfério direito é relacionado a funções distintas, como percepção visuoespacial, inteligência social e emocional, e reconhecimento de expressões faciais.

Quanto à linguagem, as especializações hemisféricas giram em torno da demarcação de seus componentes estruturais. Apesar de o significado (semântica) ter representação em ambos os hemisférios, o lado esquerdo do cérebro é responsável pelos demais aspectos formais, como a fonologia (combinação dos sons para a formação de palavras), a morfologia (regras de formação lexical) e a sintaxe (regras de organização de frases). O hemisfério direito, no entanto, responsabiliza-se pelos aspectos comunicativos, ou seja, pela pragmática.

Embora cada hemisfério apresente diferentes especializações, a comunicação efetiva é considerada um produto do funcionamento complementar de ambos. Essa complementariedade se ressalta pela responsabilidade do hemisfério esquerdo pela organização estrutural do sistema linguístico e do hemisfério direito pelo aspecto funcional da linguagem e pelo uso dos elementos extralinguísticos da comunicação.

Esse aspecto funcional da linguagem reflete-se em diversas habilidades e situações comunicativas. O hemisfério direito é responsável pelo processamento de inferências, essencial na compreensão de discursos narrativos, de metáforas e pelo processamento da qualidade emocional do discurso, requerido na produção e na percepção da prosódia linguística e emocional. Juntamente com o hemisfério esquerdo, também atua em tarefas que requerem habilidades convencionais, como o discurso dialógico, e o entendimento e a produção de palavras isoladas, testados em tarefas de julgamento semântico e de evocação lexical.

Em vista destas habilidades desenvolvidas pelo hemisfério direito, nos próximos textos abordarei melhor sobre estas habilidades, ok? Até!

Referências: Ortiz KZ. Distúrbios neurológicos adquiridos. Manole, 2ª edição, 2010.

Por |2018-11-12T20:20:34+00:0012 de novembro de 2018|Aprendizagem, Cognição, Linguagem, Neurociência, Neuropsicologia|1 Comment

About the Author:

Graduada em Fonoaudiologia (2009), mestre (2011) e doutora (2016) em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto pela Faculdade de Medicina da UFMG. Realizou cursos no Centre de Linguistique Appliquée (Université de Franche-Comté) – França (2013). Participa anualmente de congressos internacionais, sendo o de 2015 em Monterey na Califórnia/EUA. Publicou estudos importantes nos periódicos Journal of Communication Disorders e Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Atualmente participa do grupo de pesquisas em Neurofibromatoses do Hospital das Clínicas da UFMG. Tem experiência clínica nas áreas de audiologia e linguagem, com ênfase em processamento auditivo, treinamento auditivo, distúrbios de linguagem e aprendizagem. Currículo completo: http://lattes.cnpq.br/1978022333477136

One Comment

  1. Paula Amorim Ramos Perini 17 de novembro de 2018 at 06:04 - Resposta

    Tenho te acompanhado! Obrigada pelas contribuições científico práticas ! Abraço

Deixe um Comentário

Este site usa o plugin Akismet para reduzir spam. Você pode aprender aqui como seu comentario é processado antes de ser publicado.

MENU

INSCREVA-SE

Receba automaticamente novos posts por e-mail

Nome e Sobrenome:

Endereço de e-mail

Facebook
Facebook
PINTEREST
PINTEREST
INSTAGRAM
Whatsapp