A importância da consciência sintática no desenvolvimento da leitura e escrita

Além da consciência fonológica, outros estudos mostram ainda a importância da consciência sintática, isto é, a capacidade de refletir sobre a estrutura sintática da linguagem oral. Quando são analisados os erros de leitura, percebe-se que maus leitores produzem maior quantidade de erros gramaticalmente inaceitáveis e autocorreções com base em critérios gramaticais. Tais resultados sugerem que a consciência sintática desempenha um papel facilitador na compreensão da leitura, influindo nas habilidades de monitoramento da compreensão, por meio da detecção de erros incoerentes com a estrutura das sentenças e da autocorreção dos mesmos.

A consciência sintática também é importante para a aquisição da linguagem escrita por vários motivos, como, por exemplo, o fato de que ela permite ao leitor ler palavras que ele não consegue decodificar, devido à dificuldade pessoal em decodificar ou a dificuldades na própria palavra (irregularidades grafofonêmicas). No momento em que o leitor se depara com textos contendo palavras que não podem ser decodificadas facilmente, sua consciência sintática lhe permite recorrer às pistas sintáticas do texto para conseguir apreender seu significado. Estudos demonstram uma correlação positiva entre o desempenho em consciência sintática e a posterior performance na leitura de palavras com dificuldades ortográficas, isto é, que não podem ser lidas corretamente com o uso exclusivo da decodificação.

Outro aspecto relevante da consciência sintática para a leitura e a escrita consiste na importância do uso das pistas gramaticais para a compreensão de frases e textos. Isso significa que, além de contribuir para o reconhecimento de palavras, a reflexão sobre a sintaxe é essencial para o entendimento do texto, pois esse significado depende não só da soma dos significados dos elementos lexicais individuais, como também da forma pela qual esses elementos se articulam. Essa compreensão se evidencia por índices gramaticais como a ordem dos elementos na frase, a presença de palavras de função gramatical, a presença de morfemas gramaticais e a pontuação.