Habilidades auditivas nos primeiros anos de vida

“Só se avalia as habilidades auditivas a partir dos 7 anos”. Eu já escutei muito esta frase e ainda escuto bastante! E fico preocupada que ainda há profissionais que insistem em dize-la!

A avaliação das respostas a estímulos sonoros pode ser incluída no  monitoramento das habilidades auditivas nos PRIMEIROS ANOS DE VIDA realizado em Unidades Básicas de Saúde, em programas de saúde da  família, em consultórios de fonoaudiólogos e pediatras e em acompanhamento de crianças de risco ou nascidas pré­termo.

Veja o que é esperado nos PRIMEIROS ANOS DE VIDA:

Crianças de 0 a 3 meses de vida

  • Espera­-se observar respostas de atenção,  como  franzir  a  testa,  arregalar  os  olhos,  abrir  os  olhos ao som do guizo, por exemplo.
  • Os estímulos sonoros de forte intensidade espera­-se observar resposta reflexa (reflexo cocleopalpebral) e automática inata (reação de sobressalto).
  • Crianças de até 3 meses também costuma apresentar reações à voz materna como acalmar-se, franzir a testa, arregalar olhos ou resposta  de  orientação.

Crianças de 3 a 6 meses

  • Espera-­se observar ,  nas  crianças  de  3  meses, respostas  de  atenção,  nas  crianças  de  4  meses,  respostas  de  procura  da  fonte  ou  localização  incompleta  e  aos  5  meses localização lateral direita e esquerda.
  • Reflexo cocleo-palpebral com estímulos intensos (agogô), deve estar presente.
  • As crianças  de  3  a  6 meses apresentam respostas de procura da fonte e localização da voz da mãe ou do pai.

Crianças de 6 a 9 meses

  • Espera­-se observar  respostas  de  localização (direita e esquerda) e localização indireta para baixo e para cima.
  • Reflexo cocleo-palpebral com estímulo intenso (agogô), deve estar presente.
  • Entre 6 e 9 meses a criança localiza tanto a voz da mãe quanto a do examinador à direita e à esquerda.

Crianças de 6 a 24 meses

  • Espera-­se observar respostas de localização à  direita  e  à  esquerda,  direta  para  baixo  (a  partir  de  10  meses)  e  indireta  para cima.    A  partir  dos  12  meses, pode-­se encontrar a localização direta para cima.
  • Pesquisa do reflexo cócleo-palpebral com estímulo intenso (agogô), deve estar presente.
  • A pesquisa  do  reconhecimento  de  comandos  verbais  pode  ser  realizada  a  partir  de  9  meses.  Entre  9  e  13  meses  as  crianças  são capazes de reconhecer comandos verbais simples, tais como: “dá tchau!”, “joga beijo!”, “bate palma!”
  • A partir  de  12  meses  pode-­se  também  verificar  se  a  criança  consegue  reconhecer  seu  próprio nome.   Na prática clínica tal reconhecimento ocorre entre 12 e 18 meses.
  • Crianças de 12 meses de idade reconhecem comandos verbais simples e todas as crianças de 18 e de 24 meses são capazes de reconhecer ordens.
  • A partir de 13 meses, crianças normais reconhecem partes do corpo e vocabulário  familiar .
  • De 18 meses a 24 meses a criança já é capaz de apontar para figuras ou objetos conhecidos nomeados tais como au­au, carro, bola.
  • Crianças a partir de 18 meses já são capazes de reconhecer objetos e aos 24 meses reconhecem figuras. Aos 36 meses compreendem histórias.

O desenvolvimento adequado das habilidades auditivas principalmente nos primeiros anos de vida é fator importantíssimo para o desenvolvimento de linguagem. Todas as crianças devem ser monitoradas em  relação ao desenvolvimento das habilidades auditivas e de comunicação nos  primeiros  anos  de  vida.  O monitoramento  do  desenvolvimento  da  audição de forma periódica  permite  a  identificação  precoce  dos  atrasos  e  transtornos  auditivos,  propiciando intervenção imediata!