Você sabia que junho é o mês de conscientização da afasia?

A afasia é um comprometimento da linguagem, afetando a produção ou compreensão da fala e a capacidade de ler ou escrever. A afasia é sempre devida a uma lesão cerebral, mais comumente causada por um acidente vascular cerebral (AVC), principalmente em indivíduos mais velhos, embora indivíduos mais novos também podem ser afetados. Lesões cerebrais que resultam em afasia também podem surgir de trauma na cabeça, de tumores cerebrais ou de infecções.

A afasia pode ser tão grave que impossibilita a comunicação com o paciente ou pode ser muito leve. Isso pode afetar principalmente um único aspecto do uso da linguagem, como a capacidade de recuperar os nomes dos objetos, a capacidade de reunir as palavras em frases ou a capacidade de ler. Mais comumente, no entanto, vários aspectos da comunicação podem ficar prejudicados, enquanto alguns canais podem permanecer acessíveis para uma troca limitada de informações.

O trabalho do fonoaudiólogo é determinar a quantidade de “função/habilidades” disponíveis em cada um dos canais para a compreensão da linguagem e avaliar a possibilidade de que o tratamento melhore o uso dos canais disponíveis.

Existe diferentes tipos de afasia, como Broca, global, transcortical motora, Wernicke, transcortical sensorial e de condução. Cada um desses tipos de afasia apresenta as suas peculiaridades e demanda determinado tipo de intervenção.

A afasia de Broca é a mais conhecida das afasias não fluentes. O indivíduo com este tipo de afasia tem supressão total ou parcial do discurso, caracterizado, muitas vezes, por um mutismo inicial, que pode evoluir para a reprodução da produção verbal com a presença de estereotipias (a pessoa sempre repete a mesma coisa, exemplo: “tan tan”) e/ou a fala agramática.

A afasia global, compromete as atividades de expressão e compreensão da linguagem, devido a lesões extensas.

A afasia transcortical motora, o indivíduo revela dificuldade na fluência, apresentando uma fala com esforço, simplificada e com agramatismos. A pessoa consegue repetir palavras, frases e até sequências conhecidas sem erros. Na fala espontânea, apresenta dificuldades de iniciar, com a presença de hesitações e repetições articulatórias, revelando dificuldades de evocação de palavras, que se assemelha a uma “gagueira”.

A afasia de Wernicke, o indivíduo apresenta como principal característica a dificuldade de compreensão da linguagem oral e escrita.

A afasia transcortical sensorial o indivíduo tem dificuldade de compreender, porém consegue repetir palavras e frases com erros gramaticais e sintáticos.

A afasia de condução é uma condição que ocorre uma desconexão entre a área de compreensão no lobo temporal e a área da expressão da linguagem no lobo frontal. Essa desconexão é resultado de uma lesão no fascículo arqueado, feixe de fibras que conecta essas duas áreas. O discurso dos pacientes com esse tipo de afasia é cheio de hesitações, erros parafásicos e autocorreções que prejudicam a fluidez da fala.

Junho é considerado o mês de conscientização da Afasia! No Brasil não há dados estatísticos específicos da incidência das afasias na população brasileira. Porém o DATASUS indica que no último ano ocorreu aproximadamente 170.000 casos de internações hospitalares por AVC no Brasil, sendo esta a principal causa de mortes e sequelas incapacitantes no Brasil. Podemos concluir portanto que há um grande número de pessoas afásicas no Brasil! E o mais preocupante! Mais de 80% da população brasileira nunca ouviu o termo “AFASIA”! Então vamos compartilhar este conhecimento e dar voz a estas pessoas que precisam tanto de atenção!

Referência: Lamônica DA, Britto DBO. Tratado de linguagem: perspectivas contemporâneas.