Como as crianças com dificuldades de aprendizagem e de atenção podem estabelecer e atingir bons resultados no novo ano escolar?


Idealmente, os propósitos de Ano Novo ensinam as crianças a se estabelecerem e trabalharem firmemente em direção aos seus objetivos. Isso pode ser especialmente valioso para aqueles que têm problemas de aprendizagem e atenção. Mas, seu filho pode precisar de ajuda para criar metas significativas com as quais ele consiga cumprir!
Criando objetivos de Ano Novo
Por mais atraente que seja um objetivo final, é fácil se distrair. Ajude seu filho a elaborar um plano sustentável seguindo as mesmas diretrizes SMART que você usaria para uma meta. Certifique-se de que é:
Específica: o propósito deve incluir o objetivo do seu filho, a habilidade em que ele trabalhará e como conseguirá: “Para se tornar um melhor pianista para a apresentação na escola de música, vou praticar 30 minutos por dia”.
Mensurável: ele deve acompanhar seu progresso – em um gráfico ou em revisões regulares com você.
Alcançável: o objetivo deve ser ambicioso, mas realista – algo que aguçará as habilidades do seu filho, mas não o dominará.
Deixe claro os resultados: o propósito deve explicar o que ele poderá fazer uma vez que alcance seu objetivo. Por exemplo: “Estudar com um professor particular duas vezes por semana me ajudará consistentemente a obter boas notas em matemática”.
Tempo limite: o propósito do seu filho deve especificar um prazo razoável e pode incluir mini-objetivos ao longo do caminho (mini-sucessos podem ser muito motivadores).
E outra coisa muito importante:
Relevância: Seu filho precisa querer definir e alcançar esse objetivo! Ele deve se sentir motivado e comprometido.
Como é um bom propósito?
Os objetivos específicos do seu filho dependerão de seus desafios, habilidades e interesses. Aqui estão alguns exemplos de como você pode ajudá-lo a refinar suas ideias.
Habilidades Sociais
Ideia de início: “Eu serei uma criança mais comunicativa na escola”.
Propósito: “Este ano, vou fazer mais amigos. Duas vezes por mês, vou convidar alguém da escola para ir a minha casa”.
Habilidades acadêmicas
Ideia de início: “Eu vou me esforçar para tirar 70 % nas avaliações escolares”.
Propósito: “Vou estudar pelo menos 45 minutos diários e pedirei orientação ao meu professor sobre a matéria”.
Habilidades esportivas
Ideia de início: “Vou começar a correr”.
Propósito: “Para ajudar na corrida, vou baixar um aplicativo de treinamento e treinar 2 vezes na semana. Então eu vou praticar para correr nas olimpíadas da escola.
Trabalhando em direção aos objetivos de Ano Novo
À medida que seu filho trabalha em alcançar seu propósito, ele também estará construindo habilidades importantes como:
Autorreflexão: “Como eu quero melhorar este ano?”
Autovigilância: “O que eu preciso fazer para me ajudar a alcançar minha meta?”
Autoconsciência: “Estou progredindo em direção a minha meta?”
Solução de problemas e autocontrole: “O que posso fazer para manter-me focado?”
Autoestima: “Como alcançar minha meta me faz sentir?”
Incentive-a a dar um passo atrás e fazer perguntas como essas – ou mesmo discutir as respostas com você – ao longo do caminho. Eles irão ajudá-la a se manter no bom caminho e tirar mais proveito da experiência.
Como ajudar seu filho a perseverar?
Por mais boas suas intenções – e seu plano – seu filho às vezes pode ter problemas para perseverar. Essas dicas podem ajudá-lo:
Se o seu filho concordar, considere juntar-se a ele. Você se tornará mais responsável. “Eu também estou olhando uma academia para me exercitar mais este ano. Que tal nós nadamos juntos no clube todos os sábados de manhã? “
Não brinque. Além das verificações de progresso regulares que você criou, faça perguntas e ofereça lembretes – mas de maneiras que seu filho aceite.
Compartilhe suas próprias experiências. Seja sincero sobre o que fez e o que não o ajudou com os propósitos do seu Ano Novo.
Torná-lo significativo. Deixe seu filho trabalhar duro em seu propósito. Se ele não conseguir isso, você pode ajudar a garantir que sua luta seja motivadora e não paralisante! Fale sobre como as coisas saíram e o que ele poderia fazer diferente na próxima vez.

Caso ainda precise de mais orientações para ajudar seu filho não se intimide em procurar ajuda multiprofissional!
Por |2018-04-18T17:17:44+00:0024 de janeiro de 2018|Aprendizagem, TDAH|0 Comentários

About the Author:

Graduada em Fonoaudiologia (2009), mestre (2011) e doutora (2016) em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto pela Faculdade de Medicina da UFMG. Realizou cursos no Centre de Linguistique Appliquée (Université de Franche-Comté) – França (2013). Participa anualmente de congressos internacionais, sendo o de 2015 em Monterey na Califórnia/EUA. Publicou estudos importantes nos periódicos Journal of Communication Disorders e Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Atualmente participa do grupo de pesquisas em Neurofibromatoses do Hospital das Clínicas da UFMG. Tem experiência clínica nas áreas de audiologia e linguagem, com ênfase em processamento auditivo, treinamento auditivo, distúrbios de linguagem e aprendizagem. Currículo completo: http://lattes.cnpq.br/1978022333477136

Deixe um Comentário

Este site usa o plugin Akismet para reduzir spam. Você pode aprender aqui como seu comentario é processado antes de ser publicado.

MENU

INSCREVA-SE

Receba automaticamente novos posts por e-mail

Nome e Sobrenome:

Endereço de e-mail

Facebook
Facebook
PINTEREST
PINTEREST
INSTAGRAM
Whatsapp