#Dúvida 2: Que tipos de intervenções podem ajudar as crianças com o transtorno do processamento auditivo?

A discriminação sonora é uma das principais dificuldades das crianças com transtorno do processamento auditivo. Isso significa que elas podem ter problemas para ouvir a diferença entre determinados sons ou ouvir certos sons incorretamente. Como resultado, elas podem ouvir “pato” para “bato”, por exemplo.

A fonoaudiologia pode ajudar as crianças com transtorno do processamento auditivo a tornar esses sons mais fáceis de serem ouvidos. O fonoaudiólogo também pode ajudar essas crianças a:

  1. Melhorar a percepção de sons individuais (fonemas) em palavras, o que pode ajudar nas habilidades de leitura.
  2. Desenvolver habilidades de escuta ativa, como pedir a uma pessoa que repita as instruções.
  3. Usar a linguagem adequadamente em situações sociais.

Crianças com transtorno do processamento auditivo podem ficar frustradas na escola. Imagine não ser capaz de entender o que o professor diz! Se seu filho está lidando com frustração, você pode pedir auxílio ao fonoaudiólogo e também a ajuda de um psicólogo. Isso pode ajudar essas crianças com vários tipos de aprendizado e diferenças de atenção a desenvolver estratégias para lidar com seus problemas e lidar com a frustração.

A terapia do treinamento auditivo (às vezes chamada de treinamento auditivo formal ou treinamento auditivo acusticamente controlado) é uma das intervenções para as crianças com transtorno do processamento auditivo. Um dos principais objetivos desse treinamento é melhorar a compreensão auditiva através de várias atividades ou jogos.

Tenha em mente que a terapia envolvendo o treinamento auditivo depende muito do envolvimento da família. O sucesso é conquistado com assiduidade, poucas faltas e comprometimento do paciente em realizar as tarefas propostas para serem feitas em casa!